Header Ads

Após mostrar-se revoltado em direto com caso de discriminação, Cláudio Ramos deixa sentido desabafo: “Não se pode calar…”

 


Durante a emissão desta terça-feira, dia 10 de janeiro, da “Atualidade Criminal” do programa “Dois Às 10”, da TVI, foram transmitidos excertos da reportagem de Emanuel Monteiro sobre o caso de discriminação que aconteceu numa instituição em Évora. Cláudio Ramos não conteve a sua indignação e deixou um recado à diretora técnica da instituição.

Joaquim Pereira, de 60 anos, foi humilhado e expulso do centro social por ser seropositivo, e depois de mostradas as imagens sobre o caso, Cláudio Ramos decidiu enviar um ‘recado’ à diretora técnica, Rita Augusto.

Continuar a ler

“É tão difícil não me levantar agora e dizer-lhe uma data de coisas que gostava de lhe dizer Dra. Rita. Gostava muito de lhe dizer uma data de coisas mas não posso. Porquê? Porque estou aqui num lugar que me exige alguma cautela (…) mas gostava muito, se um dia a encontrasse fora daqui, de poder conversar consigo cara a cara para que me possa dizer a mim onde é que se formou, onde é que foi instruída”, afirmou o apresentador em direto.

Já à noite, Cláudio Ramos recorreu à conta pessoal do Instagram para deixar um sentido desabafo sobre o assunto e garantiu: “… Não se pode calar, não se pode fingir que não acontece. Não se pode varrer para debaixo do tapete. Não podemos olhar para o lado e dizer que não é nada connosco. É com todos! Hoje todos devíamos ter ido a Évora exigir explicações”, começou por escrever na legenda da publicação.

Não se pode dizer que é ignorância, porque nos dias de hoje, só se é ignorante em relação ao vírus HIV, se se quiser ser. E a uma técnica de serviço social ao serviço de todos não se pode permitir isso. Não mesmo! Se falo demais? Falo! Não vejo razão para estar calado, esteja sentado nesta cadeira ou em outra qualquer”, acrescentou.

O apresentador ainda deixou um agradecimento especial à jornalista Sandra Felgueiras por ter feito a denúncia do caso: “Mil vezes ser um pai que orgulha a minha filha, um tio de referência e alguém que sai do estúdio com a sensação de dever cumprido, do que um apresentador bonito, penteado, formal e ‘morno’ com o objectivo de agradar a todos. Eu não sou esse. Eu sou este! Obrigado @sandrafelgueiras_oficial pela denúncia do caso. Isto sim, é serviço público e obrigado a todos os que entendem e se juntam nestas e em outras palavras do género.❤️”, terminou.

Ora veja:

Com tecnologia do Blogger.